22 de junho de 2010





vou desistir desta ilha de silêncio e de sabores de prata
vou desamordaçar os meus sentidos de tanto preto e branco
e o amor vou soltá-lo da palavra
da árvore e do chão

vou para o sul do sul
vou com os pássaros que vão passando velozes
e mesmo assim reparam em mim

como um poste solitário no meio do nada
com o corpo do avesso e o coração parado

3 comentários:

Anónimo disse...

"o amor vou soltá-lo da palavra": as palavras faltam porque os sentimentos ocupam o seu espaço.
Gosto muito.
A minha vida actual resume-se muito neste poema.
Obrigada pela partiha.
Um abraço,
Sandra Ferreira

margarida disse...

Bonito!!

http://euzinha09.blogspot.com/
Passe no meu covil!

Papoila Sonhadora disse...

Deveriam multar por nao publicar! - Qualquer pessoa o deveria fazer.
Um abraço.