24 de outubro de 2009


Ut liceat nobis tota perducere uita

aeternum hoco sanctae foedus amicitiae.


e que nos seja dado, a vida inteira, sempre

este pacto viver de amor sagrado.


(Catulo)



e se não tenho mais nada

que tenha ao menos

esta palavra


guardada como o único beijo

que sobrou do silêncio


uma palavra como um

gerânio


contra toda a ferocidade

do inverno


uma palavra: o teu

nome



2 comentários:

Lídia Borges disse...

O nome amado "guardado como o único beijo que sobrou do silêncio"

Lindo!

L.B.

Papoila Sonhadora disse...

Gostei bastante.

Um abraço.