6 de novembro de 2008




PARA O POMPEU... NO DIA 5 DE NOVEMBRO (MÊS DE POETAS ESTE NOVEMBRO)



no tempo em que festejamos o dia dos nossos anos
tudo é possível:

a manhã atravessa o silêncio da espera
e beija-nos no rosto inviolável da poesia

uma palavra imensa descobre o seu areal infinito
e faz-se ilha dentro do ventre azul do sonho

no tempo em que festejamos o dia dos nossos anos
tudo é possível:

o sal retoma o seu lugar no coração do tempo
e preserva a memória mais doce

e tudo pode ser reencontrado por dentro de um abraço
até a semente do girassol que nos morreu na boca

1 comentário:

Pompeu Miguel Martins disse...

Obrigado! Nos últimos tempos, vale-nos essa sempre renovada hipótese de existir uma semente, a «semente do girassol que nos morreu na boca». Os amigos parecem-se com os mares e por mais que se esvazie a maré sempre voltam, sempre hão-de banhar-nos, nem que seja para ajudar à erosão da tristeza.